17 de junho de 2013

Operação "Bye bye chupeta"


Desde sábado que a Bárbara anda sem chupeta. Foi uma decisão radical, tenho a noção disso, mas de outra forma não me parecia que fosse funcionar. Ela era mesmo muito agarrada nela e durante o dia pedia imensas vezes a chupeta. Mas chateava-me mais quando saíamos e ela pedia sempre a chupeta, apesas de lhe dizermos que a chupeta era só para ter em casa ela acabava por nos maçar e vencer pelo cansaço. Por isso chupeta na boca e menina caladinha! 
Estávamos apenas a adiar um problema.
Por isso decidi, e foi sábado que andava com os humores trocados e vai disto... Chupeta acabou!
Choramincou, pediu, barafustou, insistiu e tudo mais... O pior já sabia que viria à noite!
Como tinha ficado em casa da madrinha e até pensei que ficasse lá a dormir, pensei que como estava sem chupeta até poderia ser que nem a pedisse já que não estava connosco. Mas acabou por a minha cunhada ter de a trazer a casa e foi dormir, sem chupeta. E chorou... A meio da noite tive de a trazer para a nossa cama... e continuou a chorar e "chucha e quero a chucha"... ronhonhó...ronhonhó... isto às 2 da manhã e eu com um sono terrível e confesso que quase caí na tentação de ir buscar a chupeta, mas mantive a minha decisão!
Ontem durante o dia apenas de lembrou da chucha para a sesta... mas nada de chucha e à noite outra vez a mesma lengalenga. E nada de chupeta, porque foi o Póni que ficou com ela, porque ele estava a chorar e é pequenino e precisa dela... e chorou, aquele choro meio ensonado e passada uma meia hora adormeceu.
Hoje, de novo a história do Poni e uma promessa de ir à loja da Disney no próximo sábado, que ela já é crescida sem chupeta... Reclamou um pouco, mas não a ouvi chorar. Nem perguntou mais pela chupeta. Será que posso dar a vitória como garantida? Não me parece... é um novo hábito que terá de se acostumar e sei que não será assim em três tempos.

1 comentário:

  1. Vais ver que sim! Com o Diogo, correu bem, largou-a aos 18 meses, perdeu o interesse de um momento para o outro.
    Com a Sara foi mais difícil. Eu apercebi-me que ela nem sempre a usava para dormir, até que um dia desapareceu. À noite pediu-a e eu disse que não sabia dela, que ia dormir e no dia seguinte a procurava. Foi assim durante uns 3 ou 4 dias. Mas, sentia muita pena dela, só tinha dois anos e meio e parecia meio perdida, como se lhe faltasse algo. Porém, de repente, esqueceu-se. Mas durante uns meses ainda reparava nas chupetas dos outros bebés, mesmo nas revistas, TV ou em fotografias, ficava a admirá-las, como se fosse algo muito especial e inacessível. Dava pena, mas não deixou nenhum trauma.

    Beijinhos e bom fim-de-semana :)

    ResponderEliminar

Agradeço o teu comentário e a visita! Espero ver-te por cá mais vezes ;)